Hernâni: um grande capitão

19 Nov

Hernâni Neves, nascido a 2 de Novembro de 1963 em Mourão, Évora, desde muito cedo se iniciou no mundo do futebol. Grande jogador de futebol de onze e sobretudo de futebol de praia, Hernâni gravou o seu nome na História do desporto português, aureolado pela sua garra e liderança.

FUTEBOL DE 11: uma bela carreira

Começando no Vitória de Setúbal, clube da cidade onde vivia, Hernâni não se afirmou logo de início, sendo emprestado ao Farense. No entanto, regressou a Setúbal no ano seguinte, evoluindo muito rapidamente, o que lhe permitiu alcançar em pouco tempo o estatuto de estrela da equipa. Cientes do seu grande potencial, os responsáveis do Sport Lisboa e Benfica trataram de assegurar a sua contratação, sendo transferido para o clube da capital em troca de outros 3 jogadores.

No Benfica permaneceu 6 épocas, sob o comando de Toni (tendo em algumas dessas épocas Jesualdo Ferreira como adjunto) e onde jogou ao lado de jogadores como Mozer, Rui Águas, António Veloso, Rui Costa, João Pinto entre outros. Jogando como médio defensivo, enfrentou uma forte oposição por parte de outros atletas que ocupavam a mesma posição, na luta pela titularidade, o que desde cedo o impediu de alcançar uma maior visibilidade a nível internacional. As suas lesões, muito graves e constantemente agravadas, também não contribuíram para a sua afirmação no plantel encarnado.

Ainda assim, Hernâni continuou a combater, com a força guerreira que todos lhe reconhecem, conseguindo regressar aos relvados e participar em grande momentos de sucesso da equipa. O momento alto foi mesmo a titularidade na final da Liga dos Campeões Europeus da época de 1989/90, disputada em Viena, em que o Benfica foi derrotado por 1-0 pelo AC Milan, falhando por um triz a conquista da competição.

De águia ao peito, Hernâni conquistou 3 vezes o Campeonato Nacional de Futebol e foi vencedor de 1 edição da Taça de Portugal, além de ter sido Vice-Campeão Europeu pelo Benfica, como foi referido. Forte fisicamente, dotado de um fabuloso espírito guerreiro, Hernâni cumpria de forma exemplar as suas funções, tanto a atacar como a defender, transmitindo uma enorme segurança ao jogo da equipa encarnada. Como médio defensivo com poucos jogos disputados ao longo das épocas, não marcou muitos golos pelo Benfica, mas os poucos que marcou foram verdadeiras obras de arte, levando ao delírio do público encarnado.

Apesar das dificuldades que teve de enfrentar no seu percurso futebolístico, Hernâni nunca desistiu e continuou a lutar pela ascensão a um patamar superior, logrando a chamada à selecção nacional de futebol, pela qual fez 2 jogos, o último dos quais em 1990. Depois de uma agitada e e complicada, mas também frutuosa carreira no Benfica, Hernâni passou mais dois anos no Vitória de Setúbal, clube onde se formou como futebolista, da terra que abraçou como sua. Finalizou a carreira de futebolista profissional na época de 1996/97, ao serviço do Desportivo de Beja.

FUTEBOL DE PRAIA: Luta por um Sonho, Alegria de representar Portugal

Acabava a carreira como jogador de futebol de 11, começava a promissora carreira no futebol de praia. Servindo o Sport Lisboa e Benfica nos campeonatos amadores que inicialmente se realizaram, Hernâni representou o Viareggio Cavalieri del Mare (Itália) durante 4 épocas, conseguindo excelentes resultados.

No entanto, o seu principal legado nesta modalidade foi a participação, durante 12 épocas, na Selecção Nacional de Futebol de Praia, onde foi capitão desde muito cedo. Integrando a primeira selecção nacional, que disputou em 1997 o Campeonato do Mundo da modalidade, Hernâni permaneceu na equipa das quinas até 2008, quando os seus 45 anos de idade o obrigaram a retirar-se, por imposição das normas da FIFA.

Hernâni rapidamente se tornou um ícone das areias. Ocupava uma posição mais recuada no terreno, evidenciando-se pela solidez defensiva que conferia à equipa, sempre pronto para intervir em defesa da sua baliza, pondo um ponto final nos lances ofensivos dos adversários. Além disso, Hernâni sempre participou activamente na construção de jogadas de ataque, portador de uma técnica formidável nas areias, manifestando uma enorme capacidade de comunicação com todos os jogadores da Selecção Nacional e contando uma série de grandes golos no seu currículo invejável!

Porém, acima de tudo, além dos muitos golos que marcou e dos muitos que impediu, Hernâni era uma mais valia para Portugal pela força que conseguia incutir nos seus colegas de equipa, pelo espírito lutador com que cantava o hino nacional de olhos fechados no início de cada jogo e contagiava os seus companheiros com o seu amor à pátria, pela organização guerreira que a equipa assumia com ele dentro de campo. Sim, a sua alcunha de ninja foi bem justificada pelo seu magnífico desempenho na Selecção Nacional de Futebol de Praia.

A nível de títulos individuais e colectivos mais importantes, venceu  o Campeonato do Mundo de 2001, tendo sido eleito o melhor jogador da competição. Vencedor da Liga Europeia de Futebol de Praia por 3 vezes e da Taça da Europa por 6 ocasiões, Hernâni desempenhou sempre um papel fundamental em todas as conquistas da selecção nacional, desde o primeiro instante. Os 2 Mundialitos que Portugal venceu com a sua capitania são também outro triunfo de Hernâni, que deixou um vasto legado ao futebol de praia português.

Em 2008, após ter ponderado abandonar a equipa um ano antes do previsto pelas regras oficiais, Hernâni decidiu continuar a jogar pela selecção a fim de participar no processo de renovação da equipa, facilitando a integração de novos jogadores no plantel, contribuindo para o seu sucesso através da transmissão de toda a sua vasta experiência desportiva.

Marcou pela última vez num jogo do Mundialito de 2008 em Portimão, frente à Argentina, numa competição que Portugal venceu, apenas algumas semanas antes de Portugal se ter sagrado campeão europeu da modalidade, em Vila Real de Santo António, naquele que foi o último torneio de Hernâni com a camisola da selecção nacional. O seu último jogo foi diante da Holanda, com uma vitória portuguesa por 5-1, após a qual Hernâni levantou pela última vez um grande troféu conquistado por Portugal!

Hernâni não foi apenas uma referência como marco nacional, como fez parte de uma elite mundial de jogadores de grande classe!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: