Regras de Futebol de Praia

Futebol de praia: regras do jogo

Terreno de jogo

O campo de futebol de praia apresenta uma área semelhante à de um campo de futsal. Contudo, as dimensões são significativamente diferentes: o campo é um pouco mais curto, mas bastante mais largo. As dimensões do campo de futebol de praia são 26 a 28 m de largura por 35 a 37 m de comprimento.

As balizas são idênticas às de futebol de 11, apresentando uma largura de 5,5 m e uma altura de 2,2 m. Estas dimensões possibilitam golos de qualquer parte do campo, eventualmente com a preciosa ajuda da areia. Todo o campo é delimitado por uma linha azul, que define as linhas finais e as linhas laterais.

Por razões de segurança, o campo é rodeado por um perímetro de zona de segurança 1 m por 2 de largura.

À semelhança do que acontece no futebol de 11, existem bandeirolas nos quatro cantos do campo. No futebol de praia existem também duas bandeirolas no ponto médio das linhas laterais, que sinalizam a linha imaginária do meio campo. Ainda nas linhas laterais, a 9 m das bandeirolas de canto, encontram-se outras bandeirolas, que sinalizam a linha imaginária da área do guarda-redes. Enquanto as bandeirolas de canto e as bandeirolas do meio campo são vermelhas, as bandeirolas da área são amarelas.

Balizas

A distância (medida no interior) entre os postes é de 5,5 m e a distância entre a borda inferior do travessão ao solo é 2,2  m. Os postes e a barra devem ter a mesma largura e espessura igual ou de 10 cm e não superior a 20 cm ao redor e são pintadas em uma cor contrastante com a areia.
As redes são unidas à parte de trás dos postes e à barra.

Jogadores

Não é permitido qualquer tipo de calçado, pelo que os atletas têm de jogar descalços. Se quiserem podem usar um “pé elástico”, isto é, uma pequena fita de borracha que protege o calcanhar. No entanto, a grande maioria dos jogadores prefere não usar qualquer tipo de protecção, por ser pouco eficaz na sua função e por prejudicar o contacto com a bola.

Geralmente, em condições normais, cada equipa tem à sua disposição 10 ou 12 jogadores para um jogo, dependendo do tipo de competição. Tal como acontece em vários desportos colectivos, cada equipa entra em campo com 5 jogadores (1 guarda-redes e 4 jogadores de campo). As substituições são ilimitadas e podem ocorrer a qualquer momento do jogo, com a bola dentro ou fora do campo. Deste modo, os jogadores podem entrar e sair várias vezes no decorrer da partida, permitindo uma boa rodagem da equipa e um maior rendimento dos jogadores em campo. Jogar na areia seca é muito difícil e cansativo!

Árbitros

As personagens mais adoradas do mundo do desporto não podiam deixar de estar presentes no futebol de praia. A equipa de arbitragem é composta por três membros. Os dois árbitros principais deslocam-se ao longo das linhas laterais, enquanto o terceiro árbitro fica na zona de substituições. Enquanto a dupla de arbitragem controla os acontecimentos dentro do jogo, o terceiro árbitro vigia os bancos de ambas as equipas e autoriza as substituições. Existe ainda um cronometrista, sentado a uma mesa, nas proximidades das bancadas, que está encarregue do tempo.

 

Tempo de jogo

O jogo está dividido em três períodos de 12 minutos cada, o que faz um total de 36 minutos de jogo. Parece pouco, não é? Mas a verdade é que num jogo de futebol de praia tudo pode acontecer! Mesmo que o jogo entre numa aparente estagnação, a qualquer momento pode eclodir a explosão de emoções que caracteriza esta modalidade!

Quando a bola sai, o cronometrista não suspende o tempo. Contudo, na marcação de um pontapé livre ou após um golo, cronómetro pára, a fim de evitar perdas de tempo que alterem a duração real do jogo.

Porém, é necessário ter em conta que nunca há empates no futebol de praia (nem mesmo numa fase de grupos): se as equipas tiverem marcado o mesmo número de golos no tempo regulamentar, disputa-se um pequeno prolongamento de 3 min, onde os ânimos estão ao rubro, em que existe a regra do “golo de ouro”: a primeira equipa a marcar golo, ganha o jogo, mesmo se os 3 min não estiverem cumpridos. E, se este tempo extra não for suficiente para descobrir um vencedor, recorre-se à marcação de grandes penalidades em sistema de morte súbita. Instantes de grande tensão…

Pontapés de saída e livres directos

Interessa ainda falar de dois elementos importantes do jogo, que, embora também sejam uma realidade no futebol de 11 e no futsal, assumem contornos muito peculiares no futebol de praia: o pontapé de saída e o pontapé livre.

No início de cada período e do prolongamento ou após a marcação de um golo é concedido um pontapé de saída (no segundo caso, à equipa que sofreu o golo). A bola é colocada no ponto imaginário que corresponde ao centro do campo, ambas as equipas têm de estar no seu meio campo e os jogadores da equipa que defende podem formar uma barreira, situada a mais de 5 m de distância da bola. O jogador que vai marcar o pontapé de saída levanta ou chuta a bola para a frente (sendo mais comum apenas levantar a bola) para outro jogador da mesma equipa rematar à baliza ou passar a bola a um colega, em corrida na parte lateral do campo. Desta forma, o pontapé de saída constitui uma verdadeira oportunidade de golo!

Quando um jogador comete uma falta, é concedido um pontapé livre à equipa adversária. O livre tem de ser batido no local da infracção, pelo jogador que sofreu a falta, excepto em caso de lesão (nesse caso, será o jogador que o substitui a marcar o livre).

O jogador pode fazer um monte com os pés ou com a bola, mas nunca com as mãos. Isto permite evitar ressaltos da bola logo após o remate. Em nenhuma situação se podem formar barreiras aquando da marcação de livres directos: é um momento de confronto do jogador que bate o livre com o guarda-redes. Se o livre for marcado à frente da linha de meio campo, então todos os jogadores têm de ficar atrás da linha da bola, a uma distância em todas as direcções de 5 metros da bola.

No caso de o livre ser marcado atrás da linha de meio campo, os jogadores têm de se colocar no exterior de um cone que liga a bola aos postes da baliza. Após a marcação de um livre, enquanto se mantiver no interior do cone e no ar, o único jogador que pode tocar na bola é o guarda-redes; só a partir do momento em que a bola bate na areia ou sai do cone imaginário é que os restantes jogadores podem tocar nela. Estas regras fazem dos pontapés livres uma grande oportunidade de golo, mesmo quando são marcados muito longe da baliza adversária. E, por vezes, a areia faz das suas…

Se a falta ocorrer dentro da área de grande penalidade, então naturalmente será assinalado um penalty. No caso da marcação do penalty, esta área fica entre a linha de golo e a linha imaginária paralela que une as duas linhas laterais a 9 metros da linha de baliza (de golo). Esta linha imaginária é marcada por duas bandeiras amarelas situadas fora do campo. A marca de penalty situa-se no meio desta linha imaginária. Equidistante dos postes da baliza. Os restantes jogadores deverão ficar a 5 metros em todas as direcções da bola.

Se a bola se estoirar ou se danifica durante uma cobrança de penalty antes de tocar nos postes, na trave e/ou no guarda-redes:
• o pontapé de grande penalidade é repetido com uma nova bola.
Se o mesmo se verificar depois de a bola tocar nos postes, na trave e/ou no guarda-redes:
• Se a bola entrar na baliza directamente, será concedido golo;
• Se a bola não entrar na baliza directamente, o jogo é interrompido e reiniciado com bola ao chão, em conformidade com as disposições da regra da bola ao solo.

As seguintes situações dão-se quando o árbitro assinala um penalty, e antes do executante chutar a bola:

Se o executante infringir as Leis do Jogo:
• o árbitro permite que o remate seja efectuado;
• se a bola entrar na baliza, o pontapé será repetido;
• se a bola não entrar na baliza, o árbitro interrompe o jogo e este é reiniciado através da concessão de um livre directo para a equipa contrária, a ser marcado onde ocorreu a infracção.
Se o guarda-redes infringir as Leis do Jogo:
• o árbitro permite que o remate seja efectuado;
• se a bola entra na meta, será concedido golo;
• se a bola não entra na baliza, o pontapé será repetido.

Ouvir

Ler foneticamente

Dicionário – Ver dicionário detalhado

Sanções disciplinares

Em termos de disciplina, nada de especial. Cartão amarelo para advertência, perante uma falta mais grave ou um comportamento considerado antidesportivo; segundo cartão amarelo perfaz um cartão vermelho e dá direito a expulsão; cartão vermelho directo, por uma falta muito grave ou conduta incorrecta, também equivale a expulsão. De realçar que, quando um jogador é expulso, não pode voltar ao jogo e a equipa joga com apenas 4 atletas durante 2 minutos. Ao fim desse tempo, pode ser substituído por outro jogador, voltando a equipa a alinhar com os habituais cinco jogadores (o jogador que foi expulso não pode voltar a jogar e deve-se manter longe do terreno de jogo). Uma jogada que ponha em risco a segurança do adversário deve ser punido como jogada de risco; Também qualquer acto em campo que se destine a enganar o árbitro deverá ser punido e sancionada como jogo anti desportivo; quando um jogador marcar golo, ao marcá-lo e de seguida se despir a camisola deverá também ser advertido por comportamento anti desportivo.

Na minha opinião, o critério para definir os cartões amarelos não é muito correcto, pois já vi jogadores a cometerem faltas muito graves e ficarem incólumes, enquanto outros vêem a cartolina amarela por marcarem o pontapé de saída antes do tempo, falharem o pontapé de bicicleta e acertarem incidentalmente na cabeça do adversário, entre outras situações impróprias para a exibição de um cartão.

A bola

• é esférica;
• é feita de couro ou outro material adequado, resistente à água e à erosão;
• tem uma circunferência de pelo menos 68 cm e não mais de
70 cm de perímetro;
• não pesa menos de 400 gramas e não mais de 440 gramas no
o início da partida;
• tem uma pressão equivalente a 0,4-0,6 atmosferas ao nível do mar.

 

 

Se a bola rebenta ou se deforma no decurso de um jogo:
• O jogo será interrompido;
• o jogo recomeça em conformidade com as disposições da Lei 8, ou sejam, há bolo ao solo – o árbitro pega na bola, e deixa-a cair em direcção ao solo, no local onde o jogo foi interrompido. Os jogadores de cada equipa perto da bola, sem limite dos mesmos disputam a bola mal ela tocar no solo e o jogo segue normalmente.
Se a bola rebenta ou está danificada, enquanto não está em jogo (em um pontapé de baliza, pontapé de canto, pontapé de livre directo, pontapé de grande penalidade ou reposição da bola):
• O jogo recomeça em conformidade com as Leis gerais do futebol de praia – substitui-se a bola e o jogo segue normalmente com a acção que estava a ser efectuada antes da interrupção do jogo.

A bola está em jogo em todas as situações normais, inclusive quando:
• ressaltar a partir de um poste ou na barra ou nas bandeiras de canto
em campo;
• ressaltar a partir de qualquer dos árbitros, enquanto eles estão na
campo;
• está no ar após o pontapé de saída, desde que o pontapé de saída tenha sido efectuado correctamente

Golo

O golo é considerado propriamente golo quando a bola ultrapassa completamente a linha de golo imaginária situada entre os dois postes e a barra superior da baliza, a menos que tenha sido lançada, transportada ou intencionalmente impulsionada pela mão ou braço por
um jogador da equipa atacante, inclusive o guarda-redes.

O guarda-redes:
• Não pode marcar golo directamente ao atirar a bola com a mão; se
isso acontece, é concedido à equipa adversária pontapé de baliza;
• Não pode marcar um golo logo após a soltar a bola com as mãos
e chutá-la no ainda no ar antes de tocar no solo;
• pode marcar um golo directamente, colocando a bola no chão e
então chutá-la.

A reposição da bola

A reposição da bola é uma forma de reiniciar o jogo. Pode ser feito através tanto por um jogador de campo, como pelo guarda-redes. Através desta reposição, de qualquer maneira que ela seja feita, o jogador que a fizer não pode marcar golo, sem antes a bola tocar em algum jogador da mesma equipa ou da equipa contrária. Os jogadores têm de estar a 5 metros da bola, na altura da reposição. Pode ser feita com os pés ou com as mãos, respeitando determinadas regras um pouco diferentes no que toca a estes dois tipos de reposição.

A bola:
• deve estar parada sobre a linha lateral ou próximo desta fora do
campo;
• é chutada de volta para o terreno de jogo em qualquer direção;
• está em jogo imediatamente após ter sido chutada ou tocada.

O executante da reposição da bola em jogo com os pés:

• Deve manter um pé no solo fora do campo quando chuta a bola para jogo;

• Deve fazê-lo dentro de 5 segundos depois de estar em posse da bola;

• Não pode jogar a bola uma segunda vez enquanto esta não tocar noutro jogador;

• Não pode executar uma reposição da bola em jogo com o pé depois de segurar a bola com as mãos para executar um lançamento.

Ouvir

Ler foneticamente

Dicionário – Ver dicionário detalhado

Com as mãos:

  • Posicionar-se de frente para o campo;
  • Ter, pelo menos parcialmente, os dois pés sobre a linha lateral ou fora da mesma;
  • Segurar a bola com as duas mãos;
  • Lançar a bola por detrás da nuca e por cima da cabeça;
  • Deve fazê-lo dentro de 5 segundos depois de estar em posse da bola;
  • Não pode jogar a bola uma segunda vez enquanto esta não tocar noutro jogador;
  • Não pode executar um lançamento da linha lateral se tiver controlado
  • a bola com os pés para executar uma reposição da bola em jogo com o pé.

 
Infracções:

Um pontapé livre directo é concedido à equipa adversária se:

• O jogador que repõe a bola em jogo joga a bola uma segunda vez antes de a mesma ter tocado outro jogador. O pontapé livre directo é marcado no ponto imaginário no centro da linha de meio campo.

A reposição da bola em jogo é repetida por um jogador da equipa adversária se:

• A reposição de bola em jogo for executada incorrectamente;

• A reposição de bola em jogo for executada num local diferente daquele onde a bola atravessou a linha lateral;

• A reposição de bola em jogo não for executada dentro de cinco segundos depois que o executante está na posse da bola;

Lançamento da baliza

O lançamento de baliza é uma das formas de recomeço do jogo.

Um golo pode ser marcado directamente de um lançamento de baliza.

Se a bola entra na baliza adversária directamente, o jogo recomeça com um lançamento de baliza executado pela equipa adversária.

Um lançamento de baliza será concedido quando:

• A bola, tocada em último lugar por um jogador da equipa atacante, ultrapassar completamente a linha de baliza, quer seja rente ao solo ou pelo ar, sem que um golo tenha sido marcado.

• A bola é lançada dum ponto qualquer da área de grande penalidade pelo guarda-redes da equipa defensora;

• O guarda-redes não pode receber a bola de um colega uma segunda vez enquanto esta não tocar num adversário;

• A bola está em jogo logo que o guarda-redes a liberta;

• O guarda-redes deve lançar a bola para o jogo dentro de 5 segundos depois de estar na sua posse.

Infracções:

Um pontapé livre directo é concedido à equipa adversária, que deve ser executado no ponto imaginário no centro da linha de meio campo, se:

• O guarda-redes demorar mais de 5 segundos a executar a reposição da bola em jogo;

• O guarda-redes executar a reposição da bola em jogo com os pés;

• O guarda-redes tocar na bola novamente antes de esta ser jogada por outro jogador.

Se, durante uma reposição da bola em jogo, a bola entrar directamente na baliza adversária, o jogo recomeça com um lançamento de baliza executado pela equipa adversária.

Se a bola tocar noutro jogador antes de entrar na baliza, é assinalado golo.

Se o guarda-redes marcar um auto-golo a partir de uma reposição de bola em jogo, é concedido um pontapé de canto à equipa adversária.

Passe atrás duplo para o guarda-redes

O guarda-redes não pode tocar na bola com as mãos ou braços quando a bola lhe é devolvida por um colega de equipa uma segunda vez consecutiva, incluindo a partir de um cabeceamento ou de uma reposição da bola em jogo, sem que esta tenha tocado num adversário.

Se a bola for passada ao guarda-redes por um colega de equipa, um dos árbitros deve assinalar este primeiro passe atrás levantando o braço acima da cabeça.

Infracções

É concedido um pontapé livre directo à equipa adversária, que deve ser executado do ponto imaginário no centro da linha de meio campo se:

• O guarda-redes receber a bola com as mãos ou braços uma segunda vez de um colega de equipa depois de a bola estar em jogo, sem que esta tenha tocado num adversário;

Pontapé de canto

O pontapé de canto é uma forma de recomeçar o jogo.

Um golo pode ser marcado directamente de um pontapé de canto, mas unicamente contra a equipa adversária.

Um canto é assinalado quando:

• A bola, tocada em último lugar por um jogador da equipa defensora, ultrapassar completamente a linha de baliza, quer seja rente ao solo ou pelo ar, sem que um golo tenha sido marcado

Infracções:

Um pontapé livre directo é concedido à equipa adversária, que deve ser executado do ponto imaginário no centro da linha de meio campo se:

• O executante do pontapé de canto joga a bola uma segunda vez antes de esta ter tocado noutro jogador.

O guarda-redes adversário recomeça o jogo com um pontapé de baliza se:

• O executante não tiver marcado o pontapé de canto dentro de 5 segundos depois de estar em posse da bola;

Se o executante marca um auto-golo directamente a partir da execução de um pontapé de canto, é concedido um pontapé de baliza à equipa adversária.

Se, a partir de um pontapé de canto, a bola entrar directamente na baliza adversária, é assinalado golo.

Por qualquer outra infracção a esta Lei:

• O pontapé de canto será repetido.

Curiosidade: Uma vez um comentador disse que os campos na Europa eram mais pequenos do que no resto do mundo. De facto, em 2006, aquando dos jogos do Mundial FIFA no Rio de Janeiro, o campo parece consideravelmente maior do que o de Portimão, onde se disputaram os jogos da Etapa Portuguesa da Liga Europeia e do Mundialito.

Um tempo depois, chegou uma informação em que dizia que não haveria grande diferença. Efectivamente, nunca mais se notou essa disparidade nas dimensões do campo. Provavelmente, a diferença residiria naquela margem de 2 m tanto para a largura como para o comprimento. Mas talvez a FIFA e a Beach Soccer World Wide tenham uniformizado as dimensões dos campos entretanto.

 

Fontes:

http://www.fifa.com/mm/document/affederation/federation/51/44/62/lotg%5fbswc%5fen%5f0626%5f56333.pdf

http://www.fpf.pt/portal/page/portal/PORTAL_FUTEBOL/DOCS/REGULAMENTOS/leis%20do%20jogo%20-%20futebol%20de%20praia.pdf

http://www.google.pt/images

http://www.wikipedia.org

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: